MENU

Drop Down MenusCSS Drop Down MenuPure CSS Dropdown Menu

Dani Gomes vive drama em “casa” mas conquista primeiro titulo da Super Clio.



A Super Clio Sudamericana chegou a sua grande final no traçado paranaense de Curitiba, correndo cada bateria em um dos traçados.

Com quatro candidatos ao título, Dani Gomes (Chrome Racing) Tonga Guardia (Branca Sport Team), Ernesto Brock (HVM Racing Team) e Givaldo Spindola (Husky Racing Team). Com duas corridas movimentadas a corrida teve todos os requintes de drama que uma corrida poderia ter.

QUALIFICAÇÃO:
Danilo Sousa da The Racers Team foi o pole position com o tempo de 1:18.912, enquanto Alexandre Oliveira (CTE Racing HVM) fez 1:19.551.
Helio Vamberto da Equipe Piratas surpreendeu em terceiro com 1:19,785 com Felipe Granado da CTE Racing vindo logo fechando a segunda fila.
Completaram o top 10: Tonga Guardia, Alex Dance, Dani Gomes, Ernesto Brock, Marcelo Vieira e Givaldo Spindola.

Os postulantes ao titulo ficaram mais atrás o que acabou deixando a situação para a corrida interessante.


BATERIA 1:
Com uma corrida movimentada e tensa por causa da briga pelo título, Danilo Sousa  não quis saber de história e abriu distância na ponta desde a largada, com Alexandre Oliveira se mantendo em segundo o tempo todo.
Felipe Granado disputava em terceiro com Tonga Guardia e ajudava Dani Gomes que ficou um bom tempo na briga com Helio Vamberto até que um toque entre eles fizesse o piloto da Piratas cair para o fim do grid.
A briga pela 10ª posição que valia a primeira posição no grid invertido vinha forte, com João Pedro (Cisco Air Racing), Alex Dance (Tacna Racing), Emerson Czerkawski (HVM Racing Team) que saiu de ultimo no grid e Marcelo Vieira (Parma Motorsports) brigavam trocando posições o tempo todo.
No final com 16 voltas de corrida, Danilo Sousa vence a primeira bateria, com Alexandre Oliveira em segundo e Felipe Granado fechando o pódio, o resultado foi importante para a CTE Racing HVM, que com dois carros no pódio, somou bons pontos na briga pela vice liderança do campeonato.
Tongua Guardia, Dani Gomes, Ernesto Brock, João Pedro, Alex Dance, Emerson Czerkawski e Givaldo Spindola completaram os 10 primeiros dos 18 carros que completaram a bateria.



BATERIA 2:
A Bateria começou com um drama para Tonga Guardia que com um problema no seu volante acabou ficando de fora da segunda bateria dando adeus a chance de brigar pelo titulo.
Com isso Ernesto Brock e Givaldo Spindola tinham chances pequenas mas remotas de estarem na briga. Brock precisava de um segundo ou vitória e Dani Gomes não pontuar, enquanto Givaldo Spindola, precisava vencer com a mesma condição de Brock de Dani não pontuar.
Givaldo Spindola e Emerson Czerkawski formaram a primeira fila com a inversão do grid.
Na largada Emerson se saiu um pouco melhor e na curva 1, um 3-wide com a adição de João Pedro, com os três passando ileso e João pulando ao segundo lugar.
Enquanto Emerson Czerkawski fugia feito um coelho das raposas na ponta, João Pedro vinha segurando o pelotão com isso causando uma disputa itensa com vários carros como Givaldo Spindola, Alex Dance, Ernesto Brock, Marcelo Vieira.
As trocas de posições e a agressividade de alguns pilotos acabaram fazendo incidentes durante a prova, num deles Alex Dance se tocou com Ernesto Brock e no enrosco Ernesto acabou abandonando a prova. Deixando Dani Gomes com uma mão na taça.
Na 10ª volta Dani Gomes começa a perder rendimento enquanto Givaldo conseguia a segunda posição no grid.
Mas a sorte sorriu para Dani Gomes na volta 11 com Givaldo Spindola sofrendo um acidente e caindo para o 15º lugar, Dani Gomes continuou perdendo posições e chegou a andar na 16ª posição fora da zona de pontos.
Mas ao final de 24 voltas em 20 minutos de corrida, Emerson Czerkawski fecha com vitória a ultima bateria da temporada, dando o titulo de equipes para a HVM Racing Team no campeonato, Danilo Sousa em uma corrida de recuperação depois de um incidente na largada foi o segundo colocado e João Pedro o terceiro, porém uma punição por um toque em Alexandre Oliveira, fez o piloto ser punido em 20s com isso Felipe Granado herdou o terceiro lugar em seu segundo pódio na noite.
Marcio Rocha, Alexandre Oliveira, Martin Benavides, Alex Dance, Paulo Rodrigues, João Pedro e Alfredo Bedoya completaram o top 10 dos 16 pilotos que completaram a bateria 2.



PUNIÇÕES:
O que é / Protestante >Protestado / Bateria - Volta e Tempo / Incidente / Punição.
P – A.Oliveira > J.Pedro - B2 – 20 19:58 / ACI / N2 + 20s
P – E.Brock > A.Dance – B2 – 01 03:58 / ULT IRR. / N1 + 10s
P – J.Pedro > A.Dance – B2 – 01 00:48 / ACI / Indeferido

ADV.
J.Pedro – Piloto tem feito defesas agressivas em alguns momentos, recomenda-se ter mais cautela nesse tipo de situação.
A.Dance – Piloto tem feito ultrapassagens agressivas e toques desnecessários em alguns momentos, recomenda-se mais cautela nesse tipo de situação.
A.Oliveira – O piloto entrou na sala de outro time para reclamação, recomenda-se aos pilotos não fazer este tipo de coisa pois pode causar discussões desnecessárias.

COMO FICOU?:
Dani Gomes marcou 117 pontos no fim das contas e ficou com o título, enquanto Tonga Guardia foi o vice campeão com 105, enquanto Ernesto Brock se manteve em terceiro no campeonato com 97.
Danilo Sousa, Givaldo Spindola, Felipe Granado, Alexandre Oliveira, Emerson Czerkawski, Marcelo Vieira e Alex Dance completaram o top 10 do campeonato de pilotos.


A HVM Racing Team foi a campeã com 172 pontos, contra 165 da CTE Racing HVM, formando uma dobradinha do grupo HVM.
A Chrome Racing que é uma parceira da HVM, foi a terceira colocada no campeonato com 139 pontos.
Branca Sport Team e The Racers Team fecharam as 5 melhores do campeonato.



AGENDA:
A categoria dará uma pausa agora, e entrará em seu lugar o Clio Cup, que será realizado em pistas espanholas a partir de Janeiro.

VT DA ETAPA: