MENU

Drop Down MenusCSS Drop Down MenuPure CSS Dropdown Menu

Danilo Sousa vence Indy 500!!!


Contando com dois dias de evento, uma primeira parte cancelada por problemas técnicos, a VORC Series realizou a Indy 500 no dia 05/06 com uma corrida sem problemas técnicos, mas com um início de prova muito confuso e com amarelas. Mas a metade final levemente esvaziada trouxe um stinti em verde bem longo só quebrado a menos de 10 voltas ao final quando o acidente de Emerson Czerkawski trouxe um duelo mano a mano entre Danilo Sousa e Elisio Netto.


QUALIFICAÇÃO.
O evento contou com uma primeira fase onde em grupos os pilotos foram a pista, assim formando os 23 primeiros classificados do grid, na sequencia o bump day contou com 7 pilotos brigando pelas ultimas 3 vagas, e os 9 melhores da fase 1 foram a disputa pela pole-position.

Grid de largada.
01º - Guido Seelig – Supersonic E-Sports (Honda) – 40.775
02º - Pablo Parucci – Prima Squadra Racing (Chevrolet) – 40.789
03º - Danilo Sousa – The Racers Team (Honda) – 40.792
04º - Alessandro Barcelos – Team Tchacha (Honda) – 40.800
05º - Leonardo Lopes – Supersonic E-Sports 2 (Honda) – 40.803
06º - Rodrigo Volek – ROVO Motorsports (Honda) – 40.830
07º - Thallisson Santos – CTE Racing HVM (Honda) – 40.831
08º - Alexandre Oliveira – CTE Racing HVM (Honda) – 40.857
09º - Jair Oliveira – Soul Drivers (Honda) – 40.866
10º - Paulo Maeda – Supersonic E-Sports (Honda) – 40.849
11º - Claudio Lima – J-MANBR (Chevrolet) – 40.849
12º - Elisio Netto – Cisco Air Racing (Chevrolet) – 40.872
13º - Vinicius Oliveira – Cisco Air Racing 2 (Chevrolet) – 40.879
14º - Frank Vasconcelos – NBR AV Clube (Honda) – 40.883
15º - Rodrigo Garcia – Netcode (Chevrolet) – 40.897
16º - Marcelo Vieira – Parma Motorsports (Honda) – 40.897
17º - Emerson Czerkawski – HVM Racing Team (Honda) – 40.899
18º - Leonardo de Souza – Kemba Racing (Chevrolet) – 40.903
19º - Cyro Santana – 4EverBr (Honda) – 40.927
20º - João Hebert – M Tech Academy (Chevrolet) – 40.931
21º - Luciano Rocha - #268 Racing (Honda) – 40.973
22º - Paulo Rodrigues – Time XtraBe (Honda) – 40.998
23º - Francisco Costa – Cisco Air Racing (Chevrolet) – 41.051
24º - Eder Szmgel – Team Tchacha (Honda) – 41.084

25º - João Gabriel – HVM Racing Team (Honda) – 41.146
26º - Marcio Rocha – Cisco Air Racing 2 (Chevrolet) – 41.155
27º - Marco de Andrade – M Tech Sports (Chevrolet) – 41.220
28º - Achylles Junior – M Tech Academy (Chevrolet) – 41.749
29º - Marcelo Nunes – Mystery Racing (Honda) – 41.848
30º - Thiago Rodrigues – Cisco Air Racing 3 (Chevrolet) – 41.848

pilotos que não puderam participar da prova por algum motivo de data ou pessoal.

CORRIDA.
Com 21 dos 26 carros previstos a corrida teve essas baixas por diversos motivos, desde de saúde, a equipamento, mesmo com a entrada dos pilotos do Bump Day 21 carros alinharam para a prova.
As 200 voltas começaram com os pilotos em um bom ritmo de prova, mas a primeira parte da corrida foi com muitas amarelas, em acidentes onde alguns pilotos burlaram a regra da largada em segunda marcha e com isso foram desclassificados ao final da prova, a paciência era tônica para alguns, mas outros pilotos acabavam desde o começo da corrida defendendo posição de forma que ainda não era necessária, e quem se ajudava a trabalhar no vácuo ia se dando bem e subindo posições.
Danilo Sousa (The Racers Team) foi quem liderou a maior parte da prova, um dos favoritos a prova Guido Seelig (Supersonic E-Sports) abandonou ao estampar o muro com problemas técnicos de travamento.
Um big one muito feio ocorreu na volta 40, Cyro Santana (4EverBr) fez o downshift que era proibido desde o briefing, acabou reduzindo de 2ª para 1ª e na hora que deu pé seu carro escorreu e bateu lateralmente com Paulo Maeda da Supersonic, com isso Cyro rodou, bateu e voltou para o meio da pista gerando um big one, onde abandonaram, Thallisson Santos (CTE Racing HVM), Luciano Rocha (#268 Racing) e o próprio Cyro, ainda tendo de ir aos boxes reparar o carro, Emerson Czerkawski (HVM Racing Team), Leonardo de Souza (Kemba Racing).
A penúltima amarela aconteceu na volta 85 com Leonardo de Souza, a partir daí a corrida foi em green até a volta 193 quando Emerson Czerkawski estampo o muro, fim de prova para o piloto.
Com isso Danilo Sousa e Elisio Netto tinham a chance de uma briga direta a 4 voltas do final.
Relargada dada e Danilo Sousa se defendeu bem de Elisio Netto (Cisco Air Racing) que tentou o ataque, mas não foi o suficiente para ganhar a prova, com isso Danilo Sousa vence a quarta edição da Indy 500 da VORC Series, com Elisio Netto em segundo e Paulo Maeda em uma ótima terceira posição completando o pódio.
Claudio Lima, João Hebert, Marcelo Vieira, Alessandro Barcelos e Marco de Andrade foram os 8 pilotos que completaram a prova, porém Claudio Lima e Alessandro Barcelos foram desclassificados ao final pelo uso irregular da primeira marcha nas relargadas.

RESULTADO FINAL.
01º - Danilo Sousa – The Racers Team  2:54:26.817
02º - Elisio Netto – Cisco Air Racing +0:00.151
03º - Paulo Maeda – Supersonic E-Sports +0:01.907
04º - João Hebert – M Tech Academy +1 volta
05º - Marcelo Vieira – Parma Motorsports +1 volta
06º - Marco de Andrade – M Tech Sports +5 voltas
07º - Emerson Czerkawski – HVM Racing Team - DNF 193 voltas
08º - Leonardo de Souza – Kemba Racing – DNF 85 voltas
09º - Marcio Rocha – Cisco Air Racing 2 – DNF 65 voltas
10º - Guido Seelig – Supersonic E-Sports – DNF 48 voltas
11º - Luciano Rocha - #268 Racing – DNF 40 voltas
12º - João Gabriel – HVM Racing Team – DNF 35 voltas
13º - Jair Oliveira – Soul Drivers – DNF 11 voltas
14º - Paulo Rodrigues – Time XtraBe – DNF 8 voltas
15º - Vinicius de Oliveira – Cisco Air Racing 2 – DNF 8 voltas
16º - Claudio Lima – J-MANBR – DQ
17º - Alessandro Barcelos – Team Tchacha – DQ
18º - Cyro Santana – 4EverBr – DQ
19º - Thallisson Santos – CTE Racing HVM – DQ
20º - Achylles Junior – M Tech Academy – DQ
21º - Pablo Parucci – Prima Squadra Racing – DQ

PROTESTOS E PUNIÇÕES.
Direção > Cyro Santana – DQ – largada em 1ª marcha, causando acidente.
Direção > Pablo Parucci – DQ – largada em 1ª marcha.
Direção > Thallisson Santos – DQ – Largada em 1ª marcha.
Direção > Claudio Lima – DQ – Largada e relargadas em 1ª marcha.
Direção > Achylles Junior – DQ – ESC sem aviso da direção.
Direção > Alessandro Barcelos – DQ – Relargada em 1ª marcha.

Conforme falado em briefing, os pilotos deveriam largar em 2ª marcha e não era permitido a redução de marcha após passar a linha de largada, mas os mesmos fizeram tal atitude, ganhando tempo, e espaço encima de quem respeitou a regra. Como era algo sabido e fizeram os pilotos que foram punidos com DQ, e junto com uma punição de exclusão da Indy 500 de 2022.
No casso do carro #64 o mesmo também está excluído de qualquer evento em ovais no ano de 2022 até a Indy 500 2022, Já que causou um big one retirando outros pilotos da pista ao não respeita a regra citada.

VT DA ETAPA: